quinta-feira, 26 de novembro de 2009

A MINHA MUSICA


tenho nas cordas suspensas
dedos perdidos dos passos incertos
cantam poemas
mas nem sempre os sinto
nem sempre sou sincero
por me perder em ti, esqueço-me

não me lembras o calor
nem tão pouco o frio
lembro-te apenas indiferente
lembro-te melodia fugidia
lembro-te palavra sussurrada
contra o vento vadio

esgueira-se pela brecha aberta
teu tempo teu ser em teu corpo suado
mantenho nas mão cerradas
o meu sopro caricia fado interno
neste morno lume vou ardendo inquieto
ser de ninguem é ser teu em ti renascido.

abraço do vale(já sem febre) imagem tirada de diariopoetico.weblog.com.pt

12 comentários:

Meg disse...

Duarte,

Ainda bem que a febre passou... este poema revela-o também, mas aqui, sinto eu, resta uma certa melancolia.

neste morno lume vou ardendo inquieto
ser de ninguem é ser teu em ti renascido
.

Muito bonito.

Um abraço

Nair Bebiano disse...

és um poeta... o meu poeta :)
como a meg diz ainda bem que a febre te passou :)
beijo para o Vale

p.s: primo ainda ando a matutar um daqueles comentarios magnificos ;)

São disse...

Já é bom a febre ter ido embora...

Quanto ao poema, foi bom ter ficado!

Um abraço.

Lúcia disse...

Estou suspensa, Duarte...
Há palavras que nos vão descendo pela pele. Como estas!
Abraço da serra
(Tiveste febre?! Ai... As melhoras)

Maria disse...

Há muito tempo que não lia palavras tão bonitas... do vale...

:)
As tuas melhoras
Um abraço

Amaterasu disse...

a musica...
embala-nos com o seu dócil trovar... gostei caro duadu... para acompanhar este poema estou a ouvir Nirvana "come as you are"... um remate sublime...

:D

Ana Tapadas disse...

Gostei muito de ler este poema. Há frases/versos maravilhosos! Gostei particularmente deste: «o meu sopro [caricia fado interno»...
Beijinho

utopia das palavras disse...

ardendo em morno lume, ou em chama viva de vulcão, são os versos que te lembram, que a música se faz das carícias da inquietação...!

Gostei, amigo (muito)


Beijo pro vale

mugabe disse...

Tens alma de artista e és de facto um artista ! Parabens ! e um artista progressista que ainda é melhor!

Abraço!

Zorze disse...

A febre em determinado contexto, é boa.
Liga-nos como seres humanos.
É uma reacção natural/instintiva que nos protege.

Abraço,
Zorze

Duarte disse...

Denso, mas certo.
São versos que possuem um elevado grau de veracidade, e isso cala dentro, até dói.

Satisfaz-me saber que estás recuperado.

Abraços

mugabe disse...

Ganda Duarte, ganda poeta !!! e progressista, boa, continua!!

Abraço!