sexta-feira, 20 de novembro de 2009

A TI

o palco chora

este vazio que o fere

como um cair de pano

em sala muda

ecoa inundado

por uma vida eterna

em memórias de quem quer

transformar o mundo.


não me cruzei contigo

mas ficou gravada

A menina Júlia

Obra levada aos meus sentidos ávidos

por uma visão de quem pode,

Transportar mensagens,

Abalar consciências,

despertar ciências...

sabe-me , agora, a pouco...

resta-me a sensação

de que serás sempre

UM HOMEM cuja obra ultrapassa

as escassas notícias de perda.

Pois assim seja!

que nada perdemos contigo!

apenas apreendemos que ganhar

é ser recordado...

Um Bem-Hajas Mario.


abraço do vale

6 comentários:

Meg disse...

Duarte,

Esta é uma bonita e sentida homenagem ao Mário Barradas, que acaba de nos deixar.
Deixo-te o meu silêncio solidário.

Um abraço

Maria disse...

Justíssima homenagem.
Saio em silêncio, deixando um abraço.

utopia das palavras disse...

Bem hajas Duarte!

Palavras verdade, para um Homem que sabia o sentido da Liberdade!

Beijo do mar

Marreta disse...

Uma grande perda. Uma grande homenagem.

Saudações do Marreta.

P.S.: Tenho lá um desafio para ti na Tribuna.

samuel disse...

Muito bom!

Abraço.

Lúcia disse...

POis é... às vezes, o reconhecimento, vem depois, muito depois.
Mas haja quem contrarie essa tendência, Duarte.
Obrigado

Abraço da serra