sábado, 22 de novembro de 2008

NEVOEIRO

hoje o vale da vilariça,acordou com um manto de novoeiro...
ainda saí à procura do dom sebastião...voltei,sem me perder... e lembrei-me.
com essa lembrança ainda viva,voltei a sair...à procura do jfk,infrutífero,esse desapareceu noutro nevoeiro,ainda mais denso mais persistente.

Agora em casa ,olhando para o lume,sinto o choro da lenha... mas com medo,do frio, do nevoeiro persistente e quase que omnipresente...olho para o lume,esqueço o choro da lenha e aqueço as mãos.

Que estas pequenas fogueiras,que vão acendendo,não nos façam esquecer
que lá fora o sol, é o astro rei. e onde a sua luz chega,
a verdade do calor
sem o choro da lenha,sem o denso nevoeiro
aquece-nos o corpo clareia-nos alma e agudiza-nos o espírito
para podermos ser
HUMANAMENTE LIBERTOS.
duarte com esperança

5 comentários:

Ana Camarra disse...

Vim cá retribuir a visita.
Gostei da sua fogueira também, diferente, acho que uma das poucas coisas que atrai no Inverno será a hipotese de uma lareira!

Voltarei.

imelda disse...

Há muitos vales com nevoeiro que apagam a nossa esperança de dias melhores.. mas nehum tão claro como o Vale da Vilariça, claro.
Bem vindo á blogosfera.

fotógrafa disse...

...e como a esperança é sempre a ultima a morrer...acho que ainda vamos ter muitos dias de sol.O nevoeiro ir-se-á desfazendo, mesmo à custa de muita fogueira que por aí vamos acendendo...rsrs
abraço e bfds

duarte disse...

imelda,
sende bem vinda
a clareza deste vale é conhecida por poucos... e a bragança,levarei a vontade de uns dias claros.

ola fotógrafa
tenho lenha de sobra
e não há inverno que nos meta medo
abraço(sem gripe)

duarte disse...

ana camara
sede benvinda ao lume desta lareira